Tags

, , , , , , , , , , , ,

Na autobiografia de Baden-Powell (Lições da Escola da Vida) ele nos ensina que para fazermos o plano de um discurso, de um livro ou de uma atividade é preciso (i) saber claramente sua finalidade e como expressá-la; (ii) que ela seja atraente; (iii) que é necessário formular uma lei que lhe sirva de linha de conduta; e (iv) formar uma organização conveniente sob a liderança de chefes competentes.

Que o Movimento Escoteiro é atraente aos jovens, ninguém duvida. Que temos um código de conduta estabelecido pela Lei e Promessa Escoteira, também não há como negar.

Resta saber se você, Escotista e Educador, sabe claramente qual a finalidade do Movimento Escoteiro. Mas não podemos parar por aqui, é necessário que você reflita, também, sobre suas ações (práticas) para se tornar um competente Escotista.

Como destaca B-P, estas são as BASES, ou seja, sem elas, não haverá nada que seja sustentável (esta lição não é nova, consta desde o Evangelho de Mateus, 7: 24-27).

Logo, cada um de nós precisa ser um profundo conhecedor do Escotismo para que haja qualidade e crescimento sustentável. Porém, isso não significa ser um teórico. Se você é um bom conhecedor do Escotismo, o é na prática.

Tal ensinamento é pregado por Baden-Powell desde a fundação do Movimento Escoteiro e esta é a inovação contida no sistema educacional do Escotismo: a prática.

Uma das grandes provas pode ser obtida no livro Escotismo para Rapazes. Este nunca foi uma enciclopédia, com muita teoria e inúmeros verbetes. Desde quando foi lançado, em fascículos, sempre se constituiu num manual para ser usado pelos Escoteiros, para acompanhá-los nas jornadas, bivaques e acampamentos.

Que tem a vivência do cotidiano de um Grupo Escoteiro sabe que os olhos das crianças e jovens tem um brilho totalmente diferente nas atividades práticas ou ao ar livre. O Escotismo não nasceu para ser praticado dentro de uma sala. Foi gestado ao ar livre, nasceu num acampamento e tem sua grande celebração a cada 4 anos num grande acampamento internacional.

Quanto à competência, acredito que ela está ligada (intimamente) ao primeiro tópico destacado por Baden-Powell.

Logo, se você conhece (e muito bem) a finalidade do Movimento Escoteiro, sua participação será ativa e motivada, todos os dias e em todas as atividades. As crianças e jovens vão olhar para você tendo a certeza de que tudo que você fala, você realmente faz. Tudo aquilo que lhes tansmite, você realmente acreditar ser o correto.

Que os seus VALORES (honra, lealdade, amizade, cortesia, responsabilidade, entre outros) são os mesmos que eles querem ter quando crescerem.

Tenha certeza de que, agindo desta forma, te sentirás sempre realizado e feliz. Mas, mais importante ainda, é que conhecendo claramente a finalidade do Escotismo e trabalhando para ser um competente Chefe Escoteiro, estarás fazendo o teu melhor possível, estarás educando as crianças e jovens para a vida.

Anúncios