Depois de alguns dias viajando pela Itália, em companhia da minha esposa Fabiana e do Chefe Filipe Monteiro, chegamos, no dia 18 de julho, a um dos lugares emblemáticos para o Movimento Escoteiro: Kandersteg International Scout Centre – KISC.

Quando entramos na cidade de Kandersteg, comentei com o pessoal que, quando era Pioneiro, almejava poder trabalhar como staff no KISC, mesmo que fosse apenas por três meses, na certeza de que seria uma ótima experiência, não apenas como escoteiro, mas como cidadão. Porém, minha família não tinha condição financeira de pagar uma viagem à Europa e Kandersteg tornou-se um sonho bem distante.

Eis que, quase duas décadas depois, aqui estou, não para trabalhar como staff, mas para conhecer e aproveitar o lugar como mais um dos milhares de escoteiros que visitam o KISC anualmente. A chegada nos deixa meio atordoados, como uma criança que encontra um castelo dos contos de fadas ou, como definiu meu amigo Ricardo Stuber, “é como chegar na Narnia do Movimento Escoteiro”.

Reconhece-se o lugar como a casa de um velho amigo, como se já houvéssemos passado por aqui várias vezes – graças às histórias lidas, fotos vistas, desenhos admirados. A área de camping, a ponte por baixo da via férrea, o rio correndo, o “velho chalet” – onde passaremos duas noites – a recepção, os “pink” caminhando pelo lugar, tudo nos enche os olhos.

Inúmeros lenços, de várias partes do mundo, estão pendurados pelas paredes, próximo ao forro. A partir de agora, o lenço do Grupo Escoteiro Arno Friedrich fará parte deste contexto, deixando a marca de que nosso querido Grupo Escoteiro também já passou por aqui.

Já no quarto, folhando a pasta que fica sobre a mesa, com cópias de documentos históricos, encontro uma carta escrita por Baden-Powell, em 10 de agosto de 1922 – logo após a conferência na qual proferiu seu discurso Educação pelo Amor em substituição a Educação pelo Temor – agradecendo a hospitalidade dos Suíços e comentando sobre a proposta de criação de um Centro Internacional Escoteiro.

Folhas e mais folhas com fatos, documentos e a história desde antes do nascimento do KISC – com a compra do chalet Temperanza, em dezembro de 1922 – quando apenas brotava a idéia na cabeça de pessoas visionárias.

Jantamos um barbecue ao ar livre com escoteiros de vários países, entre o rio e o velho chalet, ao som da gaita de fole dos escoceses. Cantamos com os escoteiros da catalunha, dançamos com os “pink” uma animada Macarena. Apesar de toda euforia, tínhamos que dormir cedo, pois a primeira atividade do dia seguinte iniciaria na madrugada, às 3h30min: uma caminhada pelos alpes suíços, subindo acima de 1750m para ver o nascer do sol.

Mais do que descrever a experiência, quero aproveitar esta viagem para compartilhar com vocês algumas fotos.

Nossa próxima parada (rápida) é em Zurich e depois ficamos três dias em Copenhagen, antes de irmos para Kristianstad, lugar Jamboree Mundial da Suécia.

Espero que aproveitem o texto, as fotos e que possam continuar acompanhando o blog nesta nova proposta durante o 22º Jamboree Escoteiro Mundial.

 

Anúncios