Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Recebo alguns informativos sobre gestão de pessoas, sempre de olho no que podemos aplicar no escritório de advocacia, do qual sou sócio. Muitas das matérias e dicas, acabam servido ao Movimento Escoteiro também, pois, como Diretor Técnico preocupo-me com a qualificação dos Escotistas, não apenas nos cursos regulares promovidos pela UEB.

A Revista Exame divulgou, dias atrás, o que seriam nove passos para tornar um funcionário apaixonado pelo que faz e disposto a desenvolver a empresa na qual trabalha.

Como não poderia deixar de ser, surgiu-me um questionamento: somos capazes de utilizar estas dicas nos Grupos Escoteiros?

Os passos são simples:

1 – Seja generoso e faça elogios

2 – Livre-se dos gestores

3 – Faça, das suas ideias, as deles

4 – Nunca critique ou corrija

5 – Transforme todos em líderes

6- Almoce com um deles uma vez por semana

7 – Dê pequenas recompensas

8 – Reúna a equipe e festeje 

9 – Compartilhe as dores e as alegrias

Depois de elencados, vamos verificar onde podemos encaixar o Escotismo em cada um dos nove passos rumo a motivação.

1) Ninguém pode negar que gosta de receber elogios. Mas e quanto a elogiar boas atitudes, iniciativas ou atividades? Nem sempre é fácil fazer elogios. Estamos mais acostumados a criticar do que elogiar e, as criticas, por mais positivas que possam ser, não serão vistas desta forma. Lembre-se de elogiar sempre que possível, como forma de recompensar pelo trabalho bem feito.

2) Quem precisa de gestores, quando o Sistema de Patrulhas funciona bem? E isto vale para os Escotistas, que devem trabalhar em conjunto, dividindo tarefas e responsabilidades. “Quando a Patrulha vai bem, o mérito é de todos” e este sentimento é muito bom de ser compartilhado.

3) Ninguém gosta de ser mandado. Menos, ainda, num ambiente voluntário. Tente substituir o “quero que faça assim” pelo “que acha se fizéssemos desta maneira”. Tente incluir as pessoas no projeto, nas propostas, para que elas realmente sintam-se como parte e saibam que são essenciais para a realização da tarefa.

4) Criticar ou corrigir é do ser humano, certo? Errado! Nós podemos fazer diferente, basta utilizar uma abordagem indireta, fazendo com que os jovens e Escotistas reflitam, aprendam e corrijam seu erro. Estar disposto a conversar e propor a reflexão sobre o tema. Uma ferramente importante é fazer com que a pessoa busque as alternativas que ela mesma imagina para a situação ter um desfecho diferente. Isto, sem dúvida, funciona mais do que apontar o dedo. Lembrando que estamos todos no mesmo barco e, por isso, remamos para o mesmo lado. Não somos e não podemos ser um “inimigo na trincheira” de ninguém. 

5) O Movimento Escoteiro, por natureza e desde sua fundação, é uma escola de líderes. O nosso Sistema de Patrulhas privilegia o desenvolvimento desta característica. Por isso, proponha alterações periódicas nas lideranças, facultando a todos a motivação de ser líder, o desafio de fazer com que todos cresçam juntos.

6) “Nos encontramos apenas nos finais de semana e a atividade escoteira nos toma muito tempo. Assim, não consigo sentar para conversar com nenhum dos Escotistas do Grupo”. Quem ainda não ouviu esta frase, certamente ouvirá. Porém, entendo que esta não é a forma correta de administrar e gerir um grupo de voluntários, menos ainda, do Movimento Escoteiro. Assim como, com as crianças e jovens, devemos estar focados no desenvolvimento pessoal com orientação individual. Que fique claro que esta regra aplica-se aos Escotistas também. Somos todos voluntários, certo? Então temos a obrigação de nos dedicar àqueles que compõem o Grupo Escoteiro.

7) O Movimento Escoteiro faculta e possibilita a entrega de pequenas recompensas, seja por meio de Diplomas de Mérito ou Agradecimento, das Medalhas regulamentares ou mesmo dos pequenos troféus e lembranças. Quem recebe, sente-se muito bem. E quem não recebeu, vai se esforçar para estar na próxima entrega.

8) Festejar com toda a equipe de Escotisas ou Diretores é importante, fortalece os vínculos e proporciona que todos estejam caminhando numa mesma direção. Aproveito os acampamentos, os finais de semana em sede ou mesmo um feriado para convidar todos para um carreteiro, um festival de cachorro-quente ou outro evento que possa trazer a descontração e o sentimento de que todos são parte do mesmo time.

9) Um dos pontos mais importantes é saber compartilhar dores e alegrias. O sucesso de um acampamento ou atividade deve ser festejado por todos. Mas, os problemas e decepções também, de forma a que todos possam refletir e, em conjunto, buscar um caminho melhor ou mais acertado. A decisão do grupo é fundamental para demonstrar o apoio e a dedicação de todos, lembrando da dica nº 4.

Proponha a discussão destes temas com os Escotistas do seu Grupo Escoteiro e veja o quão útil elas poderão ser.

Anúncios