Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ao longo da nossa vida ouvimos, várias vezes, frases como “Dinheiro não traz felicidade, mas ajuda” ou “Dinheiro traz conforto”. Não sei dizer se este é um fator cultural que afeta apenas o Brasil, mas tenho convicção de que muitas pessoas realmente acreditam nisso.

Outra frase muito comum refere que o Escotismo é muito caro ou que a prática do Movimento Escoteiro é destinada apenas aos ricos. Não concordo com esse tipo de afirmação e vou justificar porque.

Como tudo que envolve educação, o Movimento Escoteiro tem um custo, é verdade. Entretanto, por não dispor de nenhum apoio governamental no Brasil, este custo acaba sendo repassado diretamente à família da criança ou jovem que ingressa no Escotismo.

Muitas vezes a mensalidade (do Grupo Escoteiro) e a anuidade (da União dos Escoteiros do Brasil) acabam afastando algumas famílias, sem dúvida. Porém, ver o Movimento Escoteiro apenas pela ótica financeira pode inviabilizar o resultado prático esperado, baseado numa fórmula de sucesso com mais de um século de bons resultados, no mundo inteiro.

Explico: Não conseguimos perceber o valor investido anualmente para cada criança ou jovem no Movimento Escoteiro, sem fazer um comparativo do nível de felicidade, ante e depois cada atividade, aventura ou acampamento.

O Movimento Escoteiro tem todas as ferramentas capazes de maximizar a felicidade em viver, compartilhar, aprender, ensinar e trabalhar em conjunto. Não existe lugar no mundo melhor que uma boa atividade escoteira, assim como não existe melhor sorriso do que aquele na volta para casa, ao término de uma jornada ou acampamento (por mais cansativos que eles sejam).

Não se trata de mágica ou enganação. O Método Escoteiro bem aplicado surte efeitos que marcam positivamente crianças ou jovens para o resto de suas vidas, ajudando no fortalecimento dos valores e na formação do caráter, educando-os para a vida.

É por isso que o Escotista tem a obrigação de manter a atividade escoteira atraente, progressiva e variada. O Educador deve ouvir os desejos e aspirações das crianças ou jovens, proporcionando, de forma cotidiana, a vida em equipe. Some-se a isso a aceitação de Lei e Promessa Escoteira, baseando o desenvolvimento pessoal com orientação individual.

Com esta simples fórmula, podemos dar-nos conta de que não é preciso muito para sermos felizes e que cada centavo investido em filhos, sobrinhos ou netos terá a melhor taxa de retorno possível e imaginável. Não basta ter muita grana, é preciso saber viver e aproveitar, de forma saudável, a infância e a juventude, com o auxílio do Movimento Escoteiro.

Anúncios