Tags

, , , ,

O escoteiro e a escola

As vezes, a responsabilidade de colunista acaba sendo superada por outras do nosso cotidiano. Por esta razão é que na última sexta-feira, não conseguimos publicar a Coluna do Filipe, pois, além de estar na semana de provas da Faculdade, a nossa Tropa Escoteira estava envolvida na organização de um evento, no qual recebemos outras quatro tropas do nosso Distrito.

Falando em provas, sabemos que o Movimento Escoteiro é uma ferramenta extra-escolar de auxílio na formação dos jovens, mas não quer dizer (e muito pelo contrário) que o jovem pode deixar de lado a escola colocando os estudos em segundo plano.

Quero dizer que a formação escolar é muito importante, e o escotista sabendo disso pode acompanhar junto ao jovem como está seu andamento na escola e incentivá-lo. Novamente uma aproximação com os pais ou responsáveis é imprescindível para que o resultado seja efetivo.

Algumas vezes ouvi pais falando que seus filhos estão tirando notas ruins na escola e por estarem de castigo não podem ir às atividades no Grupo, será que isto está certo e até que ponto funciona? Eu penso que uma conversa entre pai, escotista e jovem seria o caminho certo, talvez um acordo: notas melhores resultam em ida a acampamento ou outra atividade que o jovem queira muito. Isso instigaria o esforço do jovem, fazendo-o estudar e se esforçar mais.

Sabemos que muita coisa ocupa o tempo do estudante, vídeo-game, computador, festinhas com amigos, passeios no shopping e ainda tem as atividades escoteiras nos finais de semana. O jovem tem que saber definir suas prioridades, regulando o tempo em cada coisa, assim teria tempo para a escola e estudos e ainda poderia freqüentar as atividades de sua tropa sem afetar os estudos. Mas é claro, se mesmo assim precisar de mais tempo para estudar, os escoteiros de sua tropa e seu chefe entenderão a sua ausência nas atividades.

Sendo assim a escola, estudos e o Movimento Escoteiro devem andar juntos.

Boas aulas e boas atividades.

Sempre Alerta!

Anúncios