Tags

, , , , , , , , , , , , , ,

Assisti, tempos atrás, a apresentação da Dra. Angela Lee Duckworth no TED TALKS, na qual fala que pesquisas científicas, elaboradas por psicólogos americanos, apontam que a chave para o sucesso pode estar na determinação.

Já vi algumas vezes este vídeo e sempre surpreendo-me com importantes questões contidas na fala dela. Como acontece comigo várias vezes, refleti sobre o assunto do ponto de vista do Movimento Escoteiro.

determinação

A certa altura ela pergunta: Como gerar determinação nas crianças? Como fazer para ensinar-lhes uma ética de trabalho sólida?

Segundo meu entendimento, tais questões também estão postas na cabeça dos Escotistas a cada novo sábado de atividade. E uma das resposta pode estar no trabalho em equipe, desde que observado o respeito das individualidades. Também, no que a educação escoteira tem de melhor, colocando de “conta-gotas” valores positivos e cooperativos na vida destas crianças e jovens, em situações que passam a ser rotineiras e permanentes, formando e forjando o cidadão responsável e preocupado com o futuro da cidade, do país e do mundo.

Para instigar-nos ainda mais, a Dra. Angela questiona como podemos manter crianças e adolescentes motivados no longo prazo? Novamente o Movimento Escoteiro tem uma das respostas: atividades atraentes, progressivas e variadas.

Todo Chefe de Seção sabe que o crescimento do efetivo está ligado ao sucesso das atividades escoteiras. Se o sucesso for efêmero, a permanência dos jovens será temporária e a evasão será o resultado.determinação 2

Como referi antes, vejo o Movimento Escoteiro numa ação em “conta-gotas”, ou seja, precisamos de um longo período para visualizar o resultado do fortalecimento dos valores, do caráter e da ética forjando nossos jovens. Por ser um trabalho de médio e longo prazo, não podemos dar chance à evasão.

Logo, as atividades devem, necessariamente, serem  as mais atraentes, mantendo a progressividade e a variação que mantenha-os esperando pelo próximo capitulo. Devem estar de acordo com a expectativa dos nossos jovens, sem perder o caráter educativo, como nos dizia B-P.

Neste caminho, retorno ao que ensina a Dra. Angela Duckworth: Devemos estar dispostos a tentar,a  falhar e a começar de novo com as lições aprendidas. Precisamos estar determinados a tornar nossas crianças mais determinadas.

Logo: façamos o nosso Melhor Possível!

Anúncios